Blog O Matuto “Encomende a Cachaça Uauá através do Email: cachacauaua@gmail.com ou no (74) 9988 6247 (vivo)"

quarta-feira, 29 de julho de 2015

133 prefeitos baianos correm risco de inelegibilidade; inclusive JORGE LOBO EM UAUÁ



Prefeitos considerados ordenadores de despesas terão, a partir de decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do ano passado, seus atos julgados pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), e não mais pelas Câmaras de Vereadores, que continuam com o poder de julgar as contas anuais. Nesse caso, estão sujeitos à inelegibilidade os prefeitos que tenham seus exercícios financeiros pontuais reprovados pelos tribunais de contas ou que tenham contra si termos de ocorrência ou denúncia, sem que o julgamento final fique com as Câmaras de Vereadores. Na lista da corte de contas baiana, conforme a Tribuna da Bahia apurou, estão nada menos que 133 gestores, dentre eles os ex-prefeitos de Serrinha, Osni Cardoso, Araci, Maria Edneide e Tucano, Rubens Arruda. O conselheiro e presidente do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM), Francisco Andrade Neto, afirmou que a decisão do TSE chama a atenção para a responsabilidade do Tribunal. “Confirmou o entendimento das cortes de contas de todo o Brasil, contra o qual se insurgiram alguns gestores. Às Câmaras de Vereadores cabe o julgamento político. O tribunal julga as contas públicas dos ordenadores de despesa e verifica se os princípios constitucionais da economicidade, razoabilidade, publicidade, moralidade, legalidade, impessoalidade e eficiência na aplicação dos recursos públicos foram respeitados. Ou seja, se os recursos públicos estão sendo aplicados de forma a gerar o maior benefício para a sociedade”, descreve o conselheiro. Ainda de acordo com Neto, as Casas Legislativas não perderão a prerrogativa de julgar as contas. “As Câmaras continuarão a exercer o julgamento das contas de governo do prefeito. As suas tarefas e responsabilidades, definidas no parágrafo 2º do art. 31 da Constituição Federal, não foram alteradas e são indispensáveis no regime democrático”, aponta.

Especialistas veem lei como complexa

Já para o advogado J. Pires, especialista em Direito Eleitoral, a situação é mais complexa do que parece. Realçando a importância da matéria e conclamando aos órgãos representativos como TCM, UPB, UVB e TRE a uma discussão maior sobre o tema, ele afirma que “realmente a Lei complementar 135/2010, alterou a Lei Complementar 64/90, denominada Lei das Inelegibilidades”. “Ao proceder essa alteração, ela trouxe duas importantes mudanças para o citado dispositivo. Assim, pelo diploma atual, para efeito de inelegibilidade, a lei exige que as contas tenham sido rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa. A outra mudança constante da parte final da alínea ‘g’ da referida lei é que se aplica a todos os ordenadores de despesas, sem exclusão de mandatários, como disposto no artigo 71, inciso II, da Constituição Federal. E está hipótese é que verdadeiramente representa a grande mudança e que se traduz em verdadeiro prejuízo aos atuais gestores”, explica o advogado especializado na área de Direito Público Municipal, J. Pires, que prossegue: “Com essa mudança na alínea ‘g’, a legislação deu força de julgamento às decisões dos tribunais de contas dos municípios aos denominados termos de ocorrência ou denúncia. E o prejuízo ocorre na medida em que os julgamentos realizados pelo tribunal de contas não asseguram o chamado amplo direito de defesa, que não se traduz apenas em tomadas de informações como faz o TCM”. “O amplo direito de defesa constitui-se em todos os meios permitidos pelo direito brasileiro. A consequência é danosa em favor dos atuais gestores que têm direitos à reeleição, ainda que tenha tido uma conta aprovada, mas no decorrer do seu mandato teve um termo de ocorrência julgado procedente em desfavor e que pode, em tese, deixar ele inelegível. Basta que a aquele ato se configure em improbidade”.

Presidente da UPB cita problemas na decisão do TSE

A prefeita de Cardeal da Silva e presidente da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria, integra o time de críticos contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral que dá a prerrogativa de punir prefeitos ao Tribunal de Contas dos Municípios. Para tentar reverter a situação, a gestora conta que a entidade representativa das prefeituras baianas está se articulando para ir a campo combater a resolução. “A gente está formando na UPB um grupo de trabalho com algumas discussões e ouvindo alguns advogados. O TCM é um tribunal, mas é opinativo. A gente não tinha, até então, esses casos, mas nos surpreendemos por conta da perda da prerrogativa da Câmara, que é quem teria essa função”, explica. Maria Quitéria acredita que a determinação da Justiça Eleitoral vai impactar diretamente nas eleições municipais do ano que vem. “É uma questão de coerência até. Não tem nenhum prefeito que não teve nenhum termo de ocorrência ou multa. Não vai ter ninguém que se salve. Vale ressaltar que não é o gestor sozinho, tem um corpo técnico que responde por isso. Tem muitos agravantes, os termos de ocorrências as vezes levam até três anos para serem sanados. Sem contar a grande quantidade de processos que tramitam dentro do tribunal”, diz a gestora. “A Corte de contas é também autoridade competente para julgar os exercícios dos prefeitos nas hipóteses que eles atuem na qualidade de ordenadores de despesas, que quer dizer contas de gestão”, explicou o ministro Gilmar Mendes, na ocasião em que a decisão foi aprovada no TSE.

Prefeitos com contas rejeitadas no exercício de 2012 e que estão sujeitos à inelegibilidade, conforme relação do TCM:

1.Abaré, gestores Geraldo Rodrigues dos Santos e Delisio Oliveira da Silva;
2.Água Fria, Adailton Nunes de Souza Leão; Aiquara, Jutahy Souza Cosme;
3.Amélia Rodrigues, Antônio Carlos Paim Cardoso;
4.América Dourada, Agnaldo Oliveira Lopes;
5.Andorinha, Agileu Lima da Silva; Angical, Gilson Bezerra de Souza;
6.Antas, Agnaldo Félix dos Santos; Araçás, Uelinton Oliveira Coelho;
7.Araci, Maria Edneide Torres Silva Pinho;
8.Aurelino Leal, Domingos Marques dos Santos;
9.Barra do Rocha, Jonatas Ventura dos Santos;
10.Barro Alto, Orlando Amorim Santos;
11.Barro Preto, Adriano Clementino dos Santos;
12.Belmonte, Iedo José Menezes Elias;
13.Boa Nova, Antonio Ferreira Oliveira Filho;
14.Boa Vista do Tupim, Hiran Campos Nascimento;
15.Buerarema, Mardes Lima Monteiro de Almeida;
16.Caatiba, Omar Sousa Barbosa;
17.Cafarnaum, Ivanilton Oliveira Novais;
18.Caldas de Cipó, Jailton Ferreira de Macedo;
19.Caldeirão Grande, Maria Aparecida dos Santos Martins Silva;
20.Camacan, Maria Angela da Silva Cardoso Castro;
21.Campo Formoso, Iracy Andrade de Araújo;
22.Canavieiras, Zairo Jacques Pinto Loureiro; Candeias, Maria Angélica Juvenal Maia e Francisco Silva Conceição;
23.Canudos, Arcenio Almeida Gonçalves Neto;
24.Capim Grosso, Lydia Fontoura Pinheiro;
25.Caravelas, Jadson Silva Ruas;
26.Casa Nova, Orlando Nunes Xavier;
27.Castro Alves, Clovis Rocha Oliveira;
28.Cícero Dantas, José Weldon de Carvalho Santana;
29.Conde, Antonio Eliud Souza de Castro;
30.Condeúba, Odilio Ribeiro da Silveira;
31.Contendas do Sincorá, Joad Souza Teixeira;
32.Coração de Maria, Diego Henrique Silva Cerqueira Martins;
33.Coronel João Sá, Carlos Augusto Silveira Sobral;
34.Crisópolis, José Santana da Silva;
35.Encruzilhada, Ivani Andrade Fernandes Santos;
36.Entre Rios, Fernando Almeida de Oliveira; Esplanada,
37.Diolando Batista dos Santos;
38.Eunápolis, José Robério Batista de Oliveira;
39.Feira da Mata, Alex Ronan Viana Mota;
40.Firmino Alves, José Aguinaldo dos Santos;
41.Gongogi, Altamirando de Jesus Santos;
42.Guaratinga, Ademar Pinto Rosa;
43.Iaçu, Adelson Souza de Oliveira;
44.Ibiassucê, Heliton Alves Cardoso;
45.Ibicaraí, Lenildo Alves Santana;
46.Ibicoara, Sandra Regina Gomes Vidal;
47.Ibicuí, Claudio Antonio Kalil Dourado;
48.Ibipeba, Nei Amorim de Sousa;
49.Ibititá, Francisco Moitinho Dourado Primo;
50.Ichú, José Dias Portugal;
51.Igrapiúna, José Edmundo Seixas Dócio;
52.Iguaí, Ronaldo Moitinho dos Santos;
53.Ipiaú, Deraldino Alves de Araújo;
54.Itabela, Osvaldo Gomes Caribé;
55.Itagi, Wanda Argolo Pinto;
56.Itagimirim, Rielson Santos Lima;
57.Itajuípe, Marcos Barreto Dantas;
58.Itamaraju, Manoel Pedro Rodrigues Soares;
59.Itambé, Moacir Santos Andrade;
60.Itanhém, Milton Ferreira Guimarães;
61.Itaparica, Vicente Gonçalves da Silva e Raimundo Nonato da Hora Filho;
62.Itapé, Jackson Luiz Lima Rezende;
63.Itapebi, Cláudio Henrique Ferreira de Carvalho;
64.Itapicuru, José Moreira de Carvalho Neto;
65.Itapitanga, Dernival Dias Ferreira;
66.Itarantim, Gideão Soares Mattos;
67.Itatim, Raimunda da Silva Santos;
68.Itiruçu, Carlos Roberto Martinelli Iervese;
69.Itororó, José Adroaldo Silva de Almeida;
70.Jacobina, Valdice Castro Vieira da Silva;
71.Jaguaquara, Aldemir Moreira; Jequié, Luiz Carlos Souza Amaral;
72.Jeremoabo, João Batista Melo de Carvalho e Pedro Bonfim Varjão;
73.Jequiriçá, Juvenal Farias Maia;
74.Jitaúna, Edisio Cerqueira Alves;
75.Jucuruçu, Manoel do Carmo Loyola da Paixão e Gilberto Nogueira
76.Silva; Jussara, Ronaldo Almeida Sousa;
77.Lajedão, Danilo Rodrigues Fraga;
78.Lençóis, Marcos Airton Alves Araújo; Malhada de Pedras, Valdecir Alves Bezerra;
79.Manoel Vitorino, Lenilton Pereira Lopes, Mansidão, Davi Frank Gomes Machado;
80.Maragojipe, Silvio José Santana Santos;
81.Mascote, Rosivaldo Ferreira da Silva;
82.Monte Santo, Everaldo Joel de Araújo;
83.Morro do Chapéu, Cleova Oliveira Barreto;
84.Mortugaba, Rita de Cássia Cerqueira dos Santos;
85.Mucuri, Paulo Alexandre Matos Griffo;
86.Muquém do São Francisco, José Nicolau Teixeira Leite;
87.Muritiba, Epifanio Marques Sampaio;
88.Nilo Peçanha, Maria das Graças Soares de Oliveira;
89.Nova Fátima, Manoel Santos de Oliveira;
90.Nova Ibiá, José Murilo Nunes de Souza;
91.Nova Itarana, José Andrade Brandão de Almeida;
92.Nova Viçosa, Carlos Robson Rodrigues da Silva;
93.Ouriçangas, Nildon da Silva; Pé de Serra, Hildefonso Vitório dos Santos;
94.Pedrão, Alceu Barros de Araújo; Pedro Alexandre, Pedro Gomes Filho;
95.Pilão Arcado, João Ubiratan Queiroz Lima;
96.Piraí do Norte, Heraclito Menezes Leite;
97.Piripá, Anfrisio Barbosa Rocha;
98.Planalto, Edilson Duarte da Cunha;
99.Poções, Luciano Araújo Mascarenhas;
100.Ponto Novo, Antônio Marcos Alves da Silva;
101.Prado, João Alberto Viana Amaral; Presidente Jânio Quadros, José Conegundes Vieira; Presidente Tancredo Neves, Josue Paulo dos Santos Filho;
102.Queimadas, Paulo Sérgio Brandão Carneiro;
103.Retirolândia, José Albérico Silva Moreira;
104.Ribeira do Amparo, Manoel Rodrigues Barbosa;
105.Ribeira do Pombal, José Lourenço Morais da Silva Junior;
106.Ribeirão do Lago, Pacífico de Almeida Luz; Rodelas, Emanuel Rodrigues Ferreira;
107.Salvador, João Henrique de Barradas Carneiro;
108.Santa Bárbara, Jailson Costa dos Santos;
109.Santa Cruz Cabrália, Jorge Monteiro Pontes;
110.Santa Luzia, Ismar Jacobina de Santana; Santa Terezinha, Agnaldo Figueredo Andrade; Santanópolis, Juarez Almeida Tavares;
111.São Félix, Alex Sandro Aleluia de Brito;
112.São Gabriel, José Carlos Gomes Ferreira;
113.São José da Vitória, Jeova Nunes de Souza;
114.São José do Jacuípe, Antonio Roquildes Vilas Boas Almeida;
115.São Sebastião do Passé, Tania Maria Portugal da Silva;
116.Sapeaçu, George Vieira Gois;
117.Saubara, Antônio Raimundo de Araújo; Senhor do Bonfim, Paulo Batista Machado;
118.Sento Sé, Ednaldo dos Santos Barros; Serra do Ramalho, Carlos Caraibas de Souza;
119.Serrinha, Osni Cardoso de Araújo;
120.Sítio do Mato, Danilson dos Santos Silva;
121.Sítio do Quinto, Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa;
122.Souto Soares, Amarildo Neves de Souza; Taperoá, Antonio Fernando Brito Pinto; Teixeira de Freitas, Apparecido Rodrigues Staut;
123.Teodoro Sampaio, Antonio Valente Barbosa;
124.Teolândia, Antonio Santana Junior;
125.Terra Nova, Francisco Helio de Souza;
126.Tucano, José Rubens de Santana Arruda;
127.Uauá, Jorge Luiz Lobo Rosa;
128.Uibaí, Pedro Rocha Filho;
129.Una, Dejair Birschner; Urandi, José Cardoso de Oliveira;
130.Valença, Ramiro José Campelo de Queiroz;
131.Valente, Lucivaldo Araújo Silva e Agnaldo de Oliveira Silva;
132.Vera Cruz, Antonio Magno de Souza Filho; Wanderley, Bionô Roque das Chagas;
133.Wenceslau Guimarães, Susete Nascimento da Silva; Xique-Xique, Reinaldo Teixeira Braga Filho.
Fonte: Tribuna da Bahia


sábado, 25 de julho de 2015

ECOLOGIA URBANA






Um campo da ecologia, é uma nova área de estudos ambientais que procura entender os 
sistemas naturais dentro das áreas urbanas. Ela lida com as interações de 
plantas, animais e de seres humanos em áreas urbanas. Ecologistas urbanos estudam 
árvores, rios, vida selvagem e áreas livres encontrados nas cidades para entender até que 
ponto esses recursos são afetados pela poluição, urbanização e outras formas de pressão.


sexta-feira, 24 de julho de 2015

FESTIVAL DE CINEMA DE TRIUNFO


50 anos de CESB em Uauá - Bahia - Relembremos. Por Célia Messias

Hoje, aconteceu a Celebração Eucarística na Igreja de São João Batista pelos 50 anos do Colégio Estadual Senhor do Bonfim.

Em homenagem a todos os que ajudaram a efetivar a EDUCAÇÃO nesta Instituição Educacional dos nossos VERDES ANOS, um momento especial de saudosismo. Relembremos, por meio da observação destas fotos:












c

Curso de Produção de Queijos artesanais e cortes especiais em carcaças de caprinos


Acidente grave no trecho de Uauá x Caldeirão da Serra na BR 235

POR VOLTA DAS 22:40 DE ONTEM, PRÓXIMO A CALDEIRÃO DA SERRA, ESSE VEÍCULO COLIDIU COM DOIS JUMENTOS, OS OCUPANTES NÃO TIVERAM FERIMENTOS GRAVES, PORÉM, O JUMENTO NÃO RESISTIU.
INFORMAÇÕES E FOTOS: Anderson Siqueira




A RESSACA DA FESTA DOS VAQUEIROS PARA OS FUNCIONÁRIOS CONTRATADOS DA PREFEITURA DE CURAÇÁ BAHIA


.
O DOMINGO DA FESTA DOS VAQUEIROS DE CURAÇÁ BAHIA FOI ESTOURADO, BAMBOU, ARRASOU, DIGA SE DE PASSAGEM UMA DAS MELHORES, ISSO É FATO! A MULTIDÃO APROVOU, E QUANDO O POVO APROVA TEMOS QUE APLAUDIR, UMA FESTA NO DOMINGO TOTALMENTE GRÁTIS, TODAS AS ATRAÇÕES BANCADAS PELA PREFEITURA, QUER DIZER, BANCADO POR NÓS. PORÉM, DEPOIS DE TODA FESTA VEM A RESSACA, MAIS PARA OS FUNCIONÁRIOS CONTRATADOS DA PREFEITURA A RESSACA SE PROLONGOU BASTANTE, A PONTO DE CHEGAR ATÉ O BOLSO DO TRABALHADOR, ISSO MESMO! DIANTE DE TANTAS CRISES QUE VIVEMOS NO PAÍS, A CADA DIA O SALÁRIO PERDE O PODER DE COMPRA, FICA IMPOTENTE PERANTE A INFLAÇÃO, E PARA A SURPRESA DE TODOS, OS FUNCIONÁRIOS CONTRATADOS IRÃO COMPLETAR DOIS ( 02 ) MESES SEM RECEBER SEUS SALÁRIOS HÁ EXATAMENTE OITO ( 08 ) DIAS.
MUITOS SABEM QUE SOU FUNCIONÁRIO PÚBLICO DESTE MUNICÍPIO, JÁ VI DE TUDO QUE POSSAM IMAGINAR NESSES 15 ANOS DE FUNCIONALISMO, E, MUITOS SABENDO SEMPRE DA MINHA POSIÇÃO, VERDADEIRA, IMPARCIAL E COM FORMAÇÃO DE OPINIÃO PRÓPRIA, FICANDO SEMPRE DO LADO DO TRABALHADOR, QUER QUE SEJA CONCURSADO OU CONTRATADO, TALVEZ, DIANTE DESTE MEU POSICIONAMENTO É QUE: VÁRIOS FUNCIONÁRIOS CONTRATADOS QUE NÃO PODEM SE MANIFESTAREM SE NÃO, ALÉM, DE NÃO RECEBEREM SEUS SALÁRIOS, CORREM RISCOS DE REPRESSÃO OU ATÉ MESMO DEMISSÃO, MUITOS DELES RECORRERAM A MIM PARA QUE FIZESSE ESTÁ POSTAGEM, SABENDO QUE, SEMPRE O QUE EU POSTO CHEGA AOS OUVIDOS DOS SECRETÁRIOS E DO PRÓPRIO PREFEITO É QUE, EU PEÇO ENCARECIDAMENTE E RESPEITOSAMENTE, SENHOR PREFEITO CARLOS BRANDÃO, PAGUE OS SALÁRIOS DESSES POBRES SERTANEJOS QUE ÉS UM FORTE E ACREDITARAM NO SENHOR LEVANDO-O AO PODER. A MAIOR REVOLTA DELES SÃO, QUE, SEGUNDO ELES, OUVIRAM COMENTÁRIOS QUE OS CARGOS COMISSIONADOS, AQUELES MESMO QUE RECEBEM ALTOS SALÁRIOS DO ALTO ESCALÃO, CHEGANDO ATÉ RECEBER R$ 6.000,00 ( SEIS MIL REAIS ), ESTÃO COM SEUS SALÁRIOS EM DIA. AS ( OS ) SENHORAS ( ES ) FUNCIONÁRIAS DE INICIAIS M. L.O, E S, A.S, ME FALARAM O SEGUINTE: SERÁ QUE NÓS, A MASSA VOTANTE E QUE ESTÁ RECEBENDO SOMENTE UM SALÁRIO MÍNIMO, NÃO TEMOS VALOR, O VOTO DOS COMISSIONADOS SÃO MAIS IMPORTANTE QUE DOS CONTRATADOS, AINDA ACRESCENTOU, ESTOU ENDIVIDADA, QUANDO O CARRO DA EMPRESA QUE PRESTA SERVIÇOS A COELBA PASSA NA RUA DE CASA, EU JÁ CORRO COM AS CRIANÇAS PARA PERTO DO POSTER COMEDO QUE ELES VENHAM CORTAR A MINHA ENERGIA ELÉTRICA, CONCLUIU A SENHORA.
SOU A FAVOR DA FESTA DOS VAQUEIROS GRÁTIS E DOS DISTRITOS TAMBÉM,PORÉM, SOU A FAVOR QUE HAJA PLANEJAMENTO, ECONOMIA COM O BEM PÚBLICO PARA FAZER DINHEIRO EM CAIXA DURANTE OS DOZE ( 12 ) MESES, ASSIM, REALIZARÁ-SE FESTAS GRÁTIS E TAMBÉM PAGARÁ OS SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS, NÃO COMPROMETERÁ O MUNICÍPIO E NEM OS SEUS MUNÍCIPES.

Por Robson Ribeiro

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Você ouve música ou merda?

A burrice reinante na música brasileira realmente popular é mais perigosa do que você imagina!


Infelizmente, a constatação é óbvia: nunca vivemos em uma época em que a música popular brasileirarealmente popular apresentasse um grau de burrice tão grande como nos dias atuais. A impressão generalizada é que há algum tipo de pacto de estupidez entre gente que se diz “artista” e uma imensa manada de pessoas que transformaram a palavra “plateia” em sinônimo de agrupamento de retardados.
A falta de capacidade cognitiva da grande maioria de brasileiros que consome música no Brasil gera uma total incompreensão sobre o significado poético de canções que ainda insistem em trazer letras que necessitem de uma capacidade cerebral superior a de um peixe para que possam ser apreciadas. Para esta geração, as canções de caras como Lenine, Ney Matogrosso e Gilberto Gil soam como tratados de Física Quântica musicados.
Hoje, é cada vez maior a dificuldade de prender a atenção destes milhões de verdadeiros “bagres”. Isso explica porque o sertanejo chamado de “universitário” e o funk imbecilizante se tornaram as novas coqueluches dentro do mercado nacional. E quando escrevo “mercado”, nem me passa pela cabeça algo que se relacione com venda de discos, já que hoje também vivemos em tempos em que tudo pode ser pego “de grátis” na internet. Estes dois estilos musicais encontraram um público perfeito, desprovido de qualquer sinal de sensibilidade poética, para quem o importante é “beijar muito na balada”. Para quem achava que a “axé music” era o fundo do poço, trataram de cavar mais um pouco para checar a uma camada de “pré-sal da estupidez”. Hoje somos o país do “tche tche rerê tetê barabará bereberê”, do “vem novinha sentar no meu colo” e de outras merdas do gênero.
A total falta de capacidade cerebral deste público foi tornada explícita recentemente com a tal polêmica a respeito do que o Zeca Camargo disse e, principalmente, no apoio que a iniciativa dos pais do falecido Cristiano Araújo – que, sabe-se lá por quê, resolveram processar o apresentador da Globo – vem recebendo por parte deste mesmo público retardado que citei anteriormente. Quase ninguém realmente entendeu o que o Zeca falou.
Neste exato momento, você deve se perguntar “Regis, por que você está escrevendo isto?” e a minha resposta é simples: porque estou cada vez mais preocupado em ver que um imenso rebanho de gente descerebrada está cerceando o direito de pensar de maneira diferente do senso comum imbecilizado. Porque já saquei que fãs deixaram de ser apenas idiotas comuns para se tornarem censores imbecis. Porque já percebi que programas de TV se tornaram um imenso painel de cretinice para buscar a audiência desta imensa turma de bucéfalos, com a cumplicidade medrosa de atores, atrizes, cantores, cantoras e músicos em geral, que se escondem atrás de discursos e elogios mentirosos para não desagradar a verdadeira horda de mentecaptos que os assistem e consomem seus produtos.
Sim, este é um texto de um sujeito velho, ranheta e cada vez mais intolerante com o estado de coisas no Brasil, que ainda não se cansou de tentar elevar a voz para condenar o emburrecimento coletivo que assola o nosso País. Faço isso porque sei que uma Nação repleta de ignorantes é o prato cheio para a desgraça. Foi assim que surgiu o nazismo e o tal Estado Islâmico: repita uma mentira dez milhões de vezes para um ignorante e ela se tornará uma verdade para ele.
Pense nisto…

quarta-feira, 22 de julho de 2015

terça-feira, 21 de julho de 2015

SEBRAE, BANCO DO NORDESTE, COOPERBODE, COOPERCUC, AUCCO, E OUTRAS ENTIDADES DEBATEM CREDITO E EMPREENDEDORISMO EM UAUÁ




Hoje, 21 de julho de 2015 em encontro com SEBRAE e BANCO DO NORDESTE na companhia de Manoel Orlando Diretor Financeiro da Cooperbode, Basilio Gomes Gonçalves Diretor Administrativo da Cooperbode UauáAdriana FerreiraEdemir Golfi Andreazi arquiteto, representantes da Associação Comercial, AUCCO, entre outras entidades foi discutido novas possibilidades e oportunidades para o credito e desenvolvimento socioeconômico de Uauá.